quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Guiando na Escandinávia e Europa



Olá pessoal,

Quanto tempo que eu não aparecia no meu cantinho aqui... Tava com saudades já!
O meu trabalho como guia de turismo internacional continua se desenvolvendo e dessa vez tive a oportunidade de além de fazer Escandinávia como de costume, ir também para Berlim, Praga, Bratislava, Vienna e Budapeste! Foi simplesmente fantástico! Mas também muuuuito trabalho! Outra novidade é que comecei a fazer itinerários para pessoas que querem viajar pela Escandinávia por conta própria mas não querem perder as melhores dicas sobre onde ir, quanto tempo ficar, o que é imperdível etc. E com tudo isto estou me tornando uma verdadeira expert em Escandinávia! Vejam também minha nova página no facebook: https://www.facebook.com/yourinternationalguide/
Pela primeira vez trabalhei com grupos de indianos e foi muito divertido! Aprendi mais sobre essa cultura milenar e não foi difícil nos tornarmos bons amigos. Muitos deles não tinham estado na Europa e nem visto a neve... Por isso o ponto alto da viagem para muitos foi quando paramos nas montanhas norueguesas e eles literalmente se esbaldaram! Esse senhor do grupo ficou completamente doido! Saiu correndo com a jaqueta aberta, estava um frrriiiiooo, eu fui até ele e fechei a jaqueta e perguntei se não tinha um casaco mais quente e ele só sorria... Ficou literalmente sem palavras! Foi realmente muito divertido, fizeram guerrinha de neve, nem o cameraman (eu) escapou! 
  Como eles eram vegetarianos, foi também um grande aprendizado para mim... Tudo precisava ser pensado antes em detalhes, eles não comem nem ovo! E por isso não gostam de ter a comida não-vegetariana por perto... Como era um grupo eu organizava de maneira que não causasse confusão pois se um deles come por engano algo com carne, ia ser realmente terrível! Comi em tantos restaurantes indianos, acho que eu realmente me adapto à tudo! E isso com certeza é muito importante nesse trabalho, mostrar que sou igual à eles e podemos sentar juntos e dividir uma refeição típica. Eles comem com as mãos mesmo, então antes e depois das refeições eles fazem fila indiana para lavar as mãos!

No final os adolescentes do grupo descobriram em qual quarto eu estava e meu quarto virou balada... Caixa de som, eles fazendo suas danças típicas e tirando selfies comigo. As meninas cantavam muito bem, parece que fazer aula de canto é normal por lá. Eles me agradavam de diversas maneiras, sempre faziam questão que eu aparecesse em todas as fotos deles, davam presentes, me elogiavam e me obrigavam a provar todas as comidas que ofereciam. Realmente muito carinhosos e incrível como fizemos uma conexão tão próxima sendo de continentes diferentes! Senti e sinto até hoje saudades e ainda mantenho contato com eles :)


Sobre as cidades visitadas, realmente um trajeto muito bonito!

Praga no verão estava esplendorosa como sempre! Vienna mexeu com meu coração (foto ao lado no Palácio de Schönbrunn com o grupo), Bratislava é tipo uma cidade pequena bem fofa com seu centro histórico e Budapeste... Que lugar maravilhoso para se terminar o tour...
Na foto abaixo, vista do Parlamento húngaro, o terceiro maior do mundo e com certeza o mais bonito! E eu, terminando o tour num cruzeiro no rio Danúbio (segundo rio mais longo do mundo) e agradecendo por esse trabalho e por Deus sempre colocar no meu caminho pessoas fantásticas!

sábado, 27 de junho de 2015

Guiando nos fiordes noruegueses

Olá gente, desculpem o sumiço, mas estou cheia de novidades e nesse post de hoje vou compartilhar com vocês um pouco do lindo trabalho que eu tenho feito guiando grupos pelos fiordes noruegueses. Espero que gostem!

Tenho guiado grupos especialmente de brasileiros, mas já aconteceu de terem outras nacionalidades também já que eu falo além do português e o norueguês, inglês e espanhol. A experiência está sendo muito positiva pois normalmente todos do grupo são muito carinhosos e dessa maneira eu recarrego um pouco minhas energias e mato um pouquinho das saudades que eu tenho do Brasil, além de ser lindo poder compartilhar com meus conterrâneos o país que eu escolhi para amar e explicar um pouco da cultura local, curiosidades e mostrar essa beleza toda da natureza exuberante daqui. Até agora TODOS ficaram impressionados e elogiaram muito a Noruega. Normalmente faço o trajeto de Oslo até Bergen cruzando o país de leste à oeste. Muitas vezes vou receber os grupos no aeroporto e levá-los na volta e auxiliá-los no check in e claro, me despedir com um lenço na mão! :). Em outras ocasiões já estive com grupos também na Dinamarca, Suécia, Finlândia (países nórdicos) e até mesmo em Tallin, na Estônia.

Tenho feito também alguns passeios pela capital Oslo, onde resido há quase 5 anos e dou com prazer dicas de como aproveitar melhor a estadia por aqui!

Bom, agora chega de tanta apresentação e vamos ao que interessa: FOTOS!

Acima: Eu no museu do barco viking em Oslo, com um barco do ano de 800 d.C.

Acima: Norway in a nutshell, passeio de um dia de Oslo à Bergen utilizando trem, passeio de barco pelo fiorde, passeio no famoso trem Flåm e pernoite na segunda maior cidade da Noruega, Bergen. Grupo de Indonésios em maio de 2015.
Acima a Stavkirke (igreja de madeira) de Borgund, do ano de 1.180d.C. Essa igreja representa o período de transição dos vikings ao cristianismo.


Hardangerfjord e o fantástico hotel com pscina infinita.


Passeio de barco pelo Nærøyfjord, o fjord mais estreito da Noruega e tombado como patrimônio mundial. Na parte mais estreita chega a 250m de largura.

Um grupo de 64 arquitetos de Salvador em maio de 2015.

No caminho vemos muitos lagos de águas cristalinas, às vezes um pescador, muitas ovelhas e com sorte nenhum Troll.

Acima: Estação de trem de Myrdal, 880m acima do nível do mar e de onde pegamos o trem Flåm que em 1hora desce (ou sobe dependendo do trajeto que escolher) 880m e é considerado um dos passeios de trem mais bonitos do mundo. No caminho temos vista panorâmica de montanhas, vales e cachoeiras.
Devido à altitude, é comum encontrar este cenário no topo do trajeto mas como estamos dentro do trem, estamos bem protegidos do frio ;)

Acima foi um trajeto de ônibus passando por Geilo, famoso resort de esqui norueguês que fica coberto por neve 10 meses por ano. É comum pernoitar na região e curtir os ares e a paz das montanhas por 1 noite. Abaixo: Eu e Jorunn, guia norueguesa que trabalhou comigo em maio de 2015.


Esse dia visitamos uma fazendinha norueguesa onde produzem suco e cidra de maçã.
Espero vocês aqui! E-mail para reservas de transfer para o aeroporto, guia acompanhante, guia local e planejamento de roteiros: marcelanoruega@gmail.com

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Coisas da Noruega- competição

Falando dos noruegueses... Acho um povo muito competitivo. O que pode ser positivo ou negativo. Não entendo muito bem porque ao mesmo tempo em que eles prezam a igualdade, eles competem muito entre si, e isso podemos começar a perceber depois de um tempo morando aqui.

Todo ano vejo noruegueses subindo de bicicleta até o local mais alto de Oslo. Desde a primavera vemos muitos noruegueses praticando o ciclismo por todo lado. Mas o que eu não sabia é que eles têm também um cronômetro (não sei se estou falando merda mas eles marcam o tempo de alguma maneira) e competem entre si quem pedala mais quilômetros, quem é o mais rápido... Aqui ser esportista, subir montanha assim como ter fotos no pico de montanhas no seu perfil do facebook, tudo isso é comum de se ver, para eles é tirar onda.
E é também o estereótipo de como um norueguês deve ser (incluindo as mulheres). Além da questão de ser bem-sucedido financeiramente, e também nessa área há bastante competição, fato que é possível além dos meios tradicionais que também temos no Brasil como: qual carro você tem, local onde mora e cargo, aqui com a transparência que existe pode-se descobrir quanto a pessoa ganha em um website do governo. Não é incomum também eles mesmo dizerem o salário e te perguntarem se teu apartamento é próprio ou alugado. Essa informação também é possível de se achar online se o teu patrimônio estiver quitado ou quase quitado. E assim é.

Deixo um link da maratona viking que acontece todo ano onde eles competem corrida com obstáculos.

http://vikingrace.no/

Porque ser casca-grossa e aventureiro é muito valorizado por aqui.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Trabalho como guia e outras novidades

Mudanças, mudanças e mais mudanças! Vou começar falando pelas mudanças climáticas...

Já passamos da metade de setembro e está fazendo 17 graus em Oslo às 16:00 horas da tarde. Nunca vi isso... Tenho perguntado: Quando o frio vai chegar? Não que eu esteja sentindo a falta dele, pelo contrário, estou adorando os dias lindos e agradáveis... Eu adoro essa temperatura e acho a temperatura perfeita, é aquele calorzinho que não faz você suar e derreter e pedir pelo amor de Deus por uma sombra e garrafa de água gelada. À noite inclusive também está agradável demais... Enfim estou amando e realmente esteve ano o clima na Noruega está fantástico... Então me desculpem os ursos polares mas, o aquecimento global é ótimo para a Noruega! (Piadinha de mal gosto, eu sei).

 Nesse verão eu resolvi fazer muitas coisas diferentes. E foi provavelmente meu melhor verão por aqui! Fiz um curso de norueguês nível avançado na universidade de Oslo (Se chama Trinn III). O curso era intensivo e paguei 9.000 coroas, mas incluía uma viagem de final de semana pela Noruega (tinham algumas opções diferentes e eu escolhi fazer rafting no Sjøa). Foi simplesmente fantástico! Eu gostei tanto que gostaria de repetir no próximo verão. Eu já tinha feito um curso de norueguês na universidade assim que me mudei para Oslo, mas era no semestre comum... Os cursos de verão são simplesmente fantásticos. A atmosfera é demais. Os eventos organizados são demais. Tudo! Eu simplesmente amei a experiência. A cerimônia de abertura foi na Universidade de Direito de Oslo (na Karl Johan). Um lugar fantástico decorado com painéis de Munch onde assistimos um show maravilhoso... Depois fomos tomar nossos bons drink no Rådhus (prefeitura). Foram muitos outros eventos, incluindo aula de folkedanse (a música country daqui), muitos filmes na faculdade, palestras... Ai... Tudo gratuito. Realmente... Eu amei! Bem, falando do curso... Era aula todo dia, de segunda a sexta, li dois livros em norueguês em 6 semanas e escrevi um trabalho de 5 páginas (obrigatório) além das aulas todo dia na parte da manhã e à tarde pois eu resolvi também fazer aulas nynorsk (na Noruega são 2 línguas escritas, nynorsk é uma delas). Suei, mas no final aprendi muito e valeu cada centavo! O mais surpreendente foi estudar com várias nacionalidades e descobrir que em vários países existem pessoas estudando norueguês NA FACULDADE. Sim, isso mesmo, eles fazem faculdade de cultura, línguas escandinavas e aprendem norueguês por lá na Itália, Hungria, Rússia etc. Nem me senti humilhada imagine quando conversei com russas que nunca haviam estado aqui e falavam norueguês melhor do que eu... Mas também fediam à cecê (prontofalei) eu vivia enjoada na sala porque o ar era às vezes intragável...
Enfim foi assim que eu passei o meu verão, e quando terminou o curso eu já embarquei num outro projeto, na verdade um projeto antigo que se realizou! Antes de me mudar para Oslo eu fiz um curso de guia de turismo e eu tentei contactar alguma agência aqui para trabalhar com isso mas não rolou nada na época e eu desanimei e achei que não seria possível. Mas com os contatos que tenho hoje em dia e a ajuda de Deus que por alguma razão me abençoa, eu tive a oportunidade de exercer essa minha profissão por aqui nesse verão.
Eu trabalhei como guia de turismo acompanhando um grupo de 12 brasileiros pela Escandinávia, Finlândia e Estônia. A experiência foi demais, estive em alguns lugares novos e revi outros onde já havia estado, aprendi muito sobre a profissão, os lugares onde estive e também sobre a vida... O grupo foi muito carinhoso comigo e eram pessoas maravilhosas, muito animados e tudo correu muito bem, tanto que já estou pesquisando o roteiro que eles farão ano que vem. A boa notícia é ver que existem mais e mais brasileiros vindo para cá à turismo, no meu tour eu encontrei outros 2 grupos de brasileiros fazendo o mesmo trajeto! Em alguns hoteis nas montanhas da Noruega os brasileiros constam como o terceiro maior grupo de visitantes. Não é o máximo? Quem poderia imaginar! Foi lindo poder compartilhar o meu amor pelo meu país do coração com eles e vê-los fascinados pelos fiordes, montanhas e cultura super diferente. A parte que senti vergonha foi da culinária pois depois de alguns dias eles estavam de saco cheio de comer salmão e almôndegas. Parecia uma verdadeira perseguição. Desde a Dinamarca, passando pela Noruega, Suécia e Finlândia as almôndegas e salmão nos perseguiam... rsrs. Então é isso pessoal, a partir de agora quem precisar de guia acompanhante pode me escrever que eu tô nessa! Bjão

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Visita ao polo norte- Tromsø


Tromsø é a maior cidade do norte da Noruega com 70mil habitantes. É uma cidade universitária onde moram mais de 100 nacionalidades. A universidade de Tromsø é a mais ao norte no mundo.

Historicamente a cidade é importante por ter sido o centro de expedições de navegadores noruegueses famosos como Roald Amundsen e Fridtjof Nansen.

Há um centro de estudos sobre a aurora boreal, museus, restaurantes, jardim botânico, cervejaria e ótimos lugares bares e lugares para dançar. A cervejaria local se chama Mack e é motivo de orgulho local. As cervejas têm nomes que homenageiam a natureza do polo norte como urso polar (isbjørn) e aurora boreal (nordlys). A nordlys eu provei e gostei bastante, é uma cerveja escura.

A cidade fica rodeada por montanhas que ficam cobertas de neve, é realmente lindo. A chegada foi emocionante. Pela janela do avião pude ver o espetáculo da natureza, muitas montanhas cobertas de neve e fiordes. As montanhas me lembraram os Alpes franceses, onde estive 6-7 anos atrás.
No verão a neve chega a derreter por completo, normalmente em julho/agosto. Agora em junho ela está com neve no topo e já tinham turistas fazendo hiking. O hiking pode ser perigoso, todo ano morrem turistas lá e por isso não é recomendável se aventurar nas montanhas sem ter alguém local junto.

No mercado encontramos carne de baleia, de foca, de rena. Eu provei as 3. Carne de rena eu já tinha experimentado em Oslo, gosto muito. A carne de foca(foto ao lado) era vendida defumada, para comer como se fosse um queijo, um biscoito. Achei o sabor forte, não era ruim mas também tava longe de ser bom. A de baleia comi com pão, fizemos sanduíche de baleia! O sabor não era tão forte como a foca mas a carne também era escura.

Encontrei com renas em diversos momentos. Pertinho de mim pastando ao lado do ponto de ônibus, parando o trânsito no meio da madrugada quando voltávamos de táxi, na culinária local e até mesmo como recheio de pizza da pizzaria do aeroporto.


Entre os dias 18 de maio e 26 de julho pode-se ver o sol da meia-noite ou seja, o sol não se põe, fica brilhando 24 horas. É ótimo no sentido que te dá energia para fazer coisas à noite, andar pela rua sem estar escuro, sair de uma festa e estar o dia claro... Mas o lado ruim é que na hora de dormir o corpo não entende que é noite rsrs.
A foto abaixo foi no dia em que eu cheguei, meia-noite e meia.
Os museus são ótimos e mais baratos que em Oslo. Fui à dois museus gratuitos com exposições de pinturas, fotografia e um documentários sobre marinheiros russos. Esse documentário mostrava um pouco do dia-a-dia deles e mostrava a visão que eles tinham sobre os noruegueses. Divertidíssimo. Eu fiz questão de tirar fotos das frases para guardar bem o choque cultural que eles tiveram. A Rússia e a Noruega estão bem próximas e chegam a fazer fronteira no norte da Noruega.

Mas de todos os meus museus, o meu preferido foi o artic museet. Lá eu aprendi sobre a vida no ártico, animais e sobre as expedições de caçadores no ártico e em Svalbard (ilha onde tem os ursos polares). Incrível! Desde 1600 já haviam caçadores indo a Svalbard. Eles buscavam aventura, desafiar a si mesmo e também vender as peles dos animais caçados (rapousas, ursos polares, focas por exemplo). Numa jornada dessas, ninguém poderia garantir que voltaria vivo. Havia inclusive algumas mulheres corajosas nesse meio! Os ingleses e holandeses estão entre os primeiros a explorar essas terras geladas. Iria morrer sem saber isso... Eu amei esse museu. Gostaria de voltar lá. (Abaixo foto do crânio de um musk, animal quase em extinção- demorei para entender que era de verdade e não uma brincadeira de mal gosto)

O polarium foi também super legal. Lá você encontra aquários onde vê focas, peixes, king crab, estrelas do mar etc.  Tive sorte de conhecer um rapaz que trabalhava lá dentro e fui escolhida para interagir com uma foca :) Elas fazem um espetáculo, obecem a comandos, e me deu um "hi five" (tocou na minha mão). Eu quase chorei rsrs. Elas são muito inteligentes, fofas!

As pessoas... Me surpreenderam. Da melhor maneira possível. Para falar a verdade, nunca tinha sido tão bem acolhida na Noruega antes. Elas são muito abertas a falar com desconhecidos. Em 4 dias em Tromsø, conheci vários noruegueses que foram muito legais comigo. Vi a abertura da Copa do Mundo na casa de uns noruegueses amigos de um amigo e comi pizza feita por eles (acho que ninguém em Oslo nunca me abriu a porta da casa tão facilmente). Num outro dia, conheci um casal e a moça foi extremamente simpática comigo. Eu realmente fiquei chocada e por um momento desconfiada quando ela me abraçava e dizia que gostava de mim, que eu poderia voltar e ficar na casa dela. Na loja, uma moça pediu licença para poder passar. Em Oslo as pessoas ficam coladas nas tuas costas até você se mover mas não pedem licença. Enfim, as pessoas em Tromsø são nota 10! Verdade também que bebem bastante... E todos, todos sem exceção que conheci usavam o tal do snus (um tabaco que grudam na gengiva).

O clima é instável. Na semana anterior à minha ida fez 28 graus. Quando cheguei estava sol e nem frio nem calor mas nos dias seguintes estava nublado, às vezes chuviscava e eu senti frio com os dois casacos leves que levei (usei um por cima do outro). Conclusão, comprei toca e luva na H&M pra segurar a onda e continuar batendo perna pela cidade e tomei café pra aquecer e esquecer que estava com frio. Então recomendo, mesmo no verão, quem for visitar levar uma roupa mais de outono e algo para dias mais quentes caso tenha sorte. Próximo a Tromsø, 40min de carro tem um lugar de praia lindíssimo chamado Sommerøya. Estava nos meus planos ir até lá mas como o tempo não colaborou eu deixei para ir na próxima vez.

Resumindo: natureza linda e pessoas acolhedoras me fazem querer voltar logo. Quem sabe eu crie coragem de ir no inverno para tentar ver a aurora boreal.

Atualizado em 6 de março de 2016. Retirado da minha agenda com anotações pessoais:

Ao se aproximar do pouso, contemplei a vista das montanhas semi-encobertas de neve. No meio, os fiordes. Uma paisagem lindíssima, a beleza em seu estado natural. Perfeita. Foi de tirar o fôlego. Junto a isso, a emoção de estar na cidade mais ao norte no mundo. Incrível eu, do hemisfério sul, estar aqui. Eram 23:35 da noite quando pousamos e em alguns minutos mais viria outra emoção: vivenciar o Sol da meia-noite. Tromsø é uma cidade universitária com mais de 100 nacionalidades diferentes vivendo aqui. Rodeada por montanhas, me lembrou os Alpes. Ouso dizer que não perde em nada. O povo é mais aberto pra falar com desconhecidos do que em Oslo. Isso porque necessitam de amigos p/ sobreviver mentalmente por 2 meses de escuridão total e 7 meses de inverno. Na primeira noite eu vi "glese". Foi lindo. O pescoço longo me lembrou uma cegonha. Na manhã seguinte, no ponto de ônibus vi uma rena pastando. No museu polar aprendi sobre as expediçõs à Svalbard onde os cacadores iam desde 1.600 motivados pela aventura e lucro com a venda das peles dos animais. Nem todos voltavam vivos. No museu tive um momento iluminado quando entendi melhor a cultura norueguesa de acordo com o relator a seguir: "Isbjønkogen" de Henry Rudiisb- Polarlitteratur (Literatura Polar)

"Nå er det vel slike krefter å vinne over andre steder enn i fangsthytta og, her nede i samfunnet for eksempel. Men der oppe trer de så klart i dagen, de står fram i sine enkle fakta: klemme på eller gi seg over.
Slik forenkles livet for fangstmannen, overvintreren.
Det må være dette som tiltaler oss til å snakke om frihet. Vi har ryggen fri, og det er blanke våpen som skal brukes i kampen.
For den som greier seg. På sitt vis blir naturen omkring en venn, den blir vakker, og en kjenner seg på en måtte ett med den.
Tåperen blir en fiende av den, vil spy når han tenker på den gnagende vinden, den tærende frosten, de snoue, iskalde vidder og fjell.
Vinneren til lengte tilbake. For ham var stillhet ikke redsel, men den kjærkomste bakgrunnen for tilværet og dette er min filosofi. Å brenne bruene bag seg er et godt prinsipp. I stort og smålt. Det er dette polaregnene tvinger en til. Jeg trur mennesket liker det. En går i denne skole og blir en tusenkunstner og pokker tik kar- i all beskjedenhet sagt.
Jo, vi lengter tilbake,- alle mann."


domingo, 18 de maio de 2014

Londres

Londres é a cidade mais populosa da Europa. Nos incontáveis bares, restaurantes, lojas, nightclubs e linhas de metrô pode-se ouvir pelo menos 300 idiomas. É a cidade mais cosmopolita em que eu já estive. Visitei Londres algumas vezes e a cada vez eu gosto mais da cidade. Eu tenho curiosidade pelo mundo então a cidade é muito interessante para mim. Da última vez experimentei comida coreana, fiz compras numa loja japonesa e comi coxinha e tomei chá inglês (com leite) no mesmo dia. Nas ruas você de vez em quando vê pessoas com estilo próprio bem elaborado (risos). Da última vez vi um senhor negro de cabelo pintado de loiro e terno de zebra, e um senhor inglês de terno muito bem arrumado e com a cabeça raspada e apenas um rabinho de cavalo no meio da cabeça e o resto raspado. Difícil descrever mas isso é Londres, uma loucura e muito divertida!  Muitos turistas, muitos estudantes, muitos bares e restaurantes. Muito de tudo e muita gente circulando pelo metrô que é praticamente uma cidade subterrânea. De uma linha à outra são túneis e mais túneis enfeitados por propagandas de filmes, peças de teatro, museus. E não raro se escuta uma ótima música tocada pelos músicos que ficam ali tirando vantagem da acústica dos túneis para ganhar um trocado. Os ótimos museus gratuitos são muito prestigiados. Na última vez estive no Tate museum, foi uma experiência ótima. A melhores dicas que eu posso dar é: Compre um øyster card se for ficar alguns dias... Ele é o cartão de passagem recarregável que os londrinos usam e que dá um disconto no preço da passagem e compre uma boa capa de chuva! Porque o tempo é muito instável e em um mesmo dia chove, faz sol, venta e chove de novo.
Abaixo foto do mapa do metrô de Londres que é distribuído gratuitamente nas estações. Não se preocupe, você vai se perder mas vai se achar de novo!


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O que fazer em Oslo- 5 dias

Oi galerinha... Uma amiga minha está pensando em vir me visitar em Oslo e eu estou montando um roteiro para ela. Espero que seja útil... Sugestões de vocês são bem-vindas...

1 dia- Passeio no centro- começar por um passeio pela Operah house, em seguida Karl Johan, shopping Steen & Strøm e/ou glasmagasinet (para quem gosta de shopping). Começar na sentralstasjon e subir a rua Karl Johan até o castelo passando pelo Stortinget e quem sabe parando na Freia para tomar um chocolate quente com creme ou um sorvete na Ben & Jerry´s. Ver horário de visitação do Stortinget e Castelo, tem visita guiada em inglês. No Stortinget a visita é gratuita, no castelo é paga.
À noite uma boa opção é o pub irlandês The Dubliner com música ao vivo.

2 dia- Uma visita ao Mathallen para beslicar algo, quem sabe provar um peixe norueguês ou um milkshake de blueberry no Døgnvill. Em seguida uma caminhada pelo rio Akerselva. À tarde o Frognerparken e museu de Oslo em Frogner (gratuito). À noite blå em Grunnerløkka.

3 dia-Caminhada em Aker Brygge e Akershus Fortress e museus. À tarde passear pela Bogstadveien (rua de compras) em Majourstuen.
À noite skybar no Radisson Blue do centro e depois uma volta por Grunnerløkka para conhecer alguns pubs.

4 dia- Passeio pelo lago Sognsvann. Sugestão: Levar a bicicleta no metrô e voltar pro centro de bike (é descida!). Conhecer a pista de esqui e comer no Frognerseteren admirando a vista da cidade. À noite: Cinema. Ou o Colosseum 1 em Majourstuen (sala super bonita, parece um teatro, chiquérrimo) ou o cinema de Bygdøy Alle que parece um teatro antigo e pequenininho onde você pode comprar vinho e beber vendo o filme. (os filmes no cinema são na língua original com legendas em norueguês).

5 dia-  Se estiver sol ir à praia! Passear por Bygdøy e seus museus. Recomendo o Norsk Folkemuseum e a igreja que tem lá... Super diferente! À noite tem o Jagger pra dançar (no centro) tem o Internasjonale na Youngstorget, tem o Café Sør, tem o Kulturhuset...


Bjos... Me contratem para guia em Oslo :)